fbpx

Como estratégias de Inbound Marketing podem alavancar o alcance do seu blog jurídico

A relevância que o marketing digital atingiu nas últimas décadas é algo que não pode ser ignorado. Uma das modalidades mais importantes desde então é, certamente, a do Inbound Marketing.

Contudo, ainda existe muita dúvida a respeito das diferenças entre o inbound e o outbound marketing, bem como sobre o modo ideal de cada nicho se beneficiar delas, seja por meio de uma agência de marketing ou de campanhas internas da empresa.

No caso dos escritórios de advocacia e dos advogados autônomos, esse cenário se torna ainda mais confuso. Isso porque há quem pense que os setores do ramo jurídico não podem fazer nenhum tipo de divulgação, o que não é verdadeiro.

Na verdade, um dos modos mais eficazes e sustentáveis de um escritório de advocacia ou negócio qualquer aumentar seu alcance no mercado é este: gerar conteúdo para blog, e-books, guest posts, com SEO e todo tipo de marketing de conteúdo.

Adiante, entenderemos como a restrição que se aplica aos setores jurídicos não os impede de fazer algumas campanhas de marketing e comunicação com o público.

De fato, atualmente o público se tornou bem mais seletivo e exigente, de modo que as antigas estratégias meramente comerciais já não surtem tanto efeito.

Portanto, se o seu escritório ou você – como profissional liberal – quer aprender a aplicar inbound marketing em Curitiba, em São Paulo, no Rio de Janeiro ou em qualquer outra capital ou interior do país, siga conosco até o fim da leitura deste artigo.

Nosso foco aqui é o ramo jurídico e os blogs, mas para tornar o assunto mais dinâmico apresentaremos exemplos de todos os segmentos de mercado, podendo ir desde grandes indústrias até uma clínica de acupuntura para coluna.

Marketing e publicidade: quais as diferenças?

Geralmente quem não é da área tende a não ver grandes diferenças entre a área de marketing e as demais áreas de publicidade e comunicação de uma marca ou instituição qualquer.

Inclusive, é interessante dizer “instituição qualquer”, afinal, uma portaria do governo ou mesmo um político pode utilizar o marketing tanto quanto uma marca de roupas, alimentos, tecnologias e afins.

O mais comum é vermos uma grande fábrica utilizar esses meios, como para anunciar resoluções de alto consumo, como serviços de usinagem, ou materiais como desengraxante biodegradável, etc.

Contudo, é importante lembrar que o marketing pode ser aplicado por qualquer marca, seja ela comercial, governamental ou mesmo pessoal.

Assim, o que temos aqui são quatro conceitos fundamentais:

  • Branding;
  • Marketing;
  • Publicidade;
  • Propaganda.

É importante compreendermos isso para que se torne mais claro por que um blog jurídico pode lançar mão de estratégias de marketing, desde que sejam de inbound, como mencionado acima e no título deste artigo.

O branding é, justamente, o esforço que uma marca faz para compreender a si mesma quanto ao seu público alvo, sua persona de mercado.

Por exemplo, se uma empresa acaba de entrar na área de medidor de espessura de tinta, o que ela deve fazer?

Pelo branding, ela deve determinar a famosa trina “Missão, visão e valores” da marca, e depois compreender qual a carência do público.

O próximo esforço seria o de marketing, que criaria uma forma de se comunicar diretamente com esse público.

Certamente, esses dois estágios podem e devem ser praticados por um escritório de advocacia, afinal, ele precisa ter uma cultura organizacional muito clara e conhecer o seu mercado.

A diferença do marketing para a publicidade é que ele é um campo bem maior, a ponto de que pode ser exercido internamente na empresa (como no caso do endomarketing). Já a publicidade é sempre externa e menor, focando apenas em campanhas e peças.

Quando um eletricista de manutenção industrial pensa nos preços e prazos que precisa ter para concorrer com o vizinho que presta o mesmo serviço, esse é o último estágio de marketing da marca e remete à publicidade propriamente dita.

Já a propaganda é ainda mais restrita. Geralmente, ela remete a esforços governamentais ou mesmo a outras instituições como igrejas, forças armadas e daí por diante.

O Código de Ética da OAB e os blogs jurídicos

Do que foi dito acima já é possível deduzir que os escritórios e profissionais de advocacia precisam evitar alguns tipos de publicidade e propaganda, mas não o marketing e o branding propriamente ditos.

Por isso mesmo um blog jurídico tem todo motivo para gerar conteúdos de qualidade com o intuito de engajar leitores, gerar leads e convertê-los em clientes da casa.

Isso deve ocorrer, sobretudo, se o seu nicho lida com questões burocráticas como laudos trabalhistas, inspeção NR 13 e afins.

Para deixar ainda mais claro, vamos recorrer ao texto do próprio Código de Ética da OAB, que no seu Capítulo IV, intitulado Da Publicidade, no artigo 28, determina:

O advogado pode anunciar os seus serviços profissionais, individual ou coletivamente, com discrição e moderação, para finalidade exclusivamente informativa, vedada a divulgação em conjunto com outra atividade.”

Os termos determinantes aqui são estes: discrição e moderação. Acima falamos sobre outbound e inbound marketing, a diferença entre ambos é justamente esta.

O primeiro (outbound) é comercialmente apelativo, faz a famosa “prospecção ativa”, enquanto o segundo (inbound) usa de discrição e moderação, na clave do que se chama “prospecção passiva”.

Naturalmente, ambos são eficientes e igualmente importantes, a depender das intenções de cada marca ou de cada campanha. Porém, aqui, focaremos apenas no segundo.

Vale frisar que o blog é o canal por excelência do inbound marketing e serve desde escritórios de advocacia, passando por opinadores políticos até indústrias, que lidam com válvulas, medidores e purgador de ar.

Hoje, se uma empresa quer atrair leads e aumentar a autoridade de sua marca no mercado, ela não sai disparando promoções malucas com preços e prazos incríveis.

Ou seja, para buscar um horizonte mais amplo, ela precisa fornecer conteúdo gratuito e de qualidade.

Vejamos adiante como ter um blog bacana e como outras estratégias, também de inbound marketing, podem ajudar a alavancar as demandas do setor jurídico.

Guest posts e e-books: turbinando o seu blog

O primeiro elemento fundamental de um blog é a originalidade. É claro que a pessoa precisa saber do que está falando e dominar o seu segmento de trabalho, porém, isso é um pressuposto.

Já a originalidade é difícil de alcançar e, sobretudo, de manter. Uma dica para isso são os guest posts, que remetem à estratégia de trocar conteúdos com outros blogs.

Deste modo, você desfrutará do público do seu parceiro e ele do seu. Além do mais, ambos também darão uma oxigenada na criatividade e manterão a originalidade da página.

Isso é muito comum em vários segmentos. Se uma empresa trabalha com abraçadeira de pressão, ela pode trocar artigos com outra que trabalha com mangueiras de gás e os conteúdos farão sentido, respectivamente, para ambos os públicos.

Outra estratégia incrível de inbound é a dos e-books, que pode ser perfeitamente conciliada com o blog da empresa.

Se você percebeu que seus leitores estão consumindo o seu material postado, mas não se tornam leads, ou seja, não deixam os dados para contato, é possível utilizar esse artifício.

Para o escritório de advocacia isso é ainda mais interessante, pois as divisões de nicho dessa área são bem rigorosas: “cível”, “trabalhista”, “tributário”, “criminalista”, etc.

Com isso, basta juntar vários artigos sobre um mesmo assunto, editá-los em formato de livro eletrônico e oferecê-los gratuitamente. Só que, para baixá-los, você faz com que o leitor tenha de preencher um formulário e deixar os dados para contato.

Esse é um dos modos mais eficientes de captação de leads que existe na atualidade. O que é melhor, além de ser totalmente gratuito, ele não fere em nada o Código de Ética da OAB.

Bônus: o inbound e as técnicas de SEO

De nada adianta falar sobre a originalidade dos seus conteúdos, as técnicas para manter publicações constantes (guest post), ou a captação de leads de modo mais eficiente e acelerado (e-books), se o seu blog não aparecer nos motores de busca.

É isso mesmo, os grandes buscadores da atualidade se tornaram a maior vitrine do mundo e um blog jurídico não pode ignorar isso.

O mesmo se dá em qualquer outro segmento. Quando uma pessoa precisa comprar algo, seja uma roupa, um alimento ou uma lava louça compacta, o primeiro passo é abrir o Google, o Bing, o Yahoo para pesquisar sobre o objeto.

Toda página que aparece organicamente adota alguma estratégia de SEO, Search Engine Optimization. Por se tratar de inbound, qualquer blog jurídico pode aplicar o SEO.

Ao aparecer nas primeiras páginas dos buscadores, o seu blog trará resultados incríveis e se tornará muito mais eficiente em suas campanhas de marketing.

Com tudo isso, vimos como várias estratégias de inbound podem alavancar um blog jurídico e torná-lo muito mais eficiente do que uma mera página de artigos esporádicos.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *