Cuidados necessários ao trabalhar com Marketing Médico para seu consultório

Marketing Digital
  1. Início
  2. Marketing Digital
  3. Cuidados necessários ao trabalhar com Marketing Médico para seu consultório

Cuidados necessários ao trabalhar com Marketing Médico para seu consultório

Você já ouviu falar do Marketing Médico? Esse tipo de estratégia é muito usada no mercado de saúde, incluindo não somente a comunidade médica, mas também profissionais do ramo de massagem, acupuntura, parteiras e enfermeiros. 

Porém, é necessário salientar algumas especificações que dizem respeito às leis que regem a divulgação para médicos.

O ramo da saúde no mercado atual

O serviço de saúde no Brasil vem sofrendo significativas transformações, especialmente, com o aumento de clínicas privadas, expansão de planos de saúde e desenvolvimento de novas técnicas para a qualidade de vida. 

Além disso, novas especialidades surgem na medicina, com o objetivo de oferecer tratamentos personalizados, conforme as necessidades de cada indivíduo. Vale ressaltar que os serviços de saúde também englobam uma série de procedimentos estéticos, que também são responsáveis pelo bem-estar. 

Um exemplo é a drenagem linfática abdominal – embora não seja feita por médicos, o tratamento é indicado para pessoas com retenção de líquido e problemas como o hipotireoidismo.

Desse modo, a medicina passa a caminhar cada vez mais com a estética. Ou seja, os tratamentos são voltados para a saúde como um todo. 

Assim, mesmo uma simples limpeza de pele profunda com extração é pensada de acordo com todos as técnicas necessárias, com esterilização de instrumentos e aplicação de produtos específicos.

Portanto, os serviços de saúde se expandem a cada dia e, por essa razão, os profissionais precisam estar cada vez mais atentos ao mercado, procurando se diferenciar perante a concorrência. 

Daí a importância de compreender as estratégias que envolvem o Marketing Médico.

Mas, afinal, o que é Marketing Médico?

Quando falamos de marketing, referimo-nos a toda atividade para comunicar, criar e desenvolver uma marca, com a função de entregar conteúdo de valor ao consumidor.

Por esse motivo, é preciso definir muito bem o nicho de mercado, para saber quais são as necessidades dos potenciais clientes e, dessa maneira, alinhar ações direcionadas e personalizadas.

Nesse sentido, o Marketing Médico trabalha com a intenção de mostrar algo de valor e de relevância para os pacientes, destacando os diferenciais de clínicas, consultórios e centros de tratamento. 

Contudo, não apenas isso, a estratégia também trata das diferentes especificações legislativas, que entram como critérios de obrigatoriedade para as divulgações na área médica.

Devido às singularidades do Marketing Médico, muitas vezes é preciso contratar uma agência de marketing digital especializada, com conhecimento específico sobre leis e diretrizes acerca dos assuntos médicos na mídia. 

Importante pontuar que todas essas normas dizem respeito às estratégias de divulgação, incluindo os canais online (redes sociais, sites, blogs, etc) ou meios tradicionais (TV, rádio, jornal).

Quais as especificações para o Marketing Médico?

A Lei 4.113/42 é a responsável por estabelecer os critérios sobre o controle de informação dada pelos médicos, na divulgação de tratamentos, doenças ou demais assuntos relacionados à saúde. 

Assim, para os médicos, as principais exigências são:

  • Não anunciar cura de doenças que não tenham tratamento;
  • Não divulgar tratamento para interromper gestação;
  • Não anunciar consultas por correspondência ou semelhantes;
  • Não fazer alusões detratoras a escolas médicas e terapias.

Além disso, a regra também define que esse tipo de publicidade limite o vínculo entre o profissional e sua especialidade. 

Quer dizer que os títulos lato sensu só poderão constar quando vinculados à especialidade, devidamente registrada no Conselho Regional de Medicina (CRM).

Todas as recomendações listadas na lei também são válidas para cirurgiões dentistas. Desse modo, somente pode anunciar a aplicação de aparelho ortodôntico interno, os profissionais devidamente especializados nesse trabalho, entre as outras recomendações citadas anteriormente.

Se o médico anunciar uma especialidade que não possui, com o objetivo de atrair novos pacientes para tratamento, além de ser uma proibição do Conselho Federal de Medicina (CFM), é algo extremamente antiético. 

Outros cuidados importantes que os médicos devem tomar são:

Não divulgar fotos de pacientes

Exibir fotos ou imagens de pacientes, incluindo as montagens comparativas de “antes e depois” é uma prática que está em desacordo com as regulamentações do Marketing Médico. 

Apesar de esse tipo de fotografia ser muito comum nas redes sociais, a prática é proibida, mesmo com autorização dos pacientes.

Dessa forma, ao invés de mostrar resultados do treino funcional para emagrecer, feito em uma clínica médica, com imagens comparativas, é possível criar um conteúdo que saliente a importância da prática de atividades físicas, bem como os benefícios de manter uma rotina e alimentação saudável.

Não divulgar informações alarmantes

Mesmo se uma ameaça epidêmica for comprovada, o médico não pode anunciar as informações, especialmente, quando o objetivo é ganhar credibilidade e autoridade. 

O proceder correto é protocolar o caráter de urgência junto aos órgãos e autoridades competentes, que farão o anúncio de modo estratégico, para evitar alarde público.

Informações para os massagistas

A Lei 4.113/42 também prevê algumas recomendações para massagistas, enfermeiros e parteiras. 

Para esses profissionais, é obrigatório mencionar nos anúncios as seguintes informações:

  • Nome;
  • Título profissional;
  • Local onde atuam.

Outros especialistas da saúde, como medico acupunturista, também podem utilizar esses dados durante as técnicas de marketing. 

Isso ajuda os pacientes a identificarem a especialização e terem mais facilidade na hora de procurar o profissional.

Como trabalhar com o Marketing Médico?

Os cuidados citados anteriormente são importantes para qualquer estratégia dentro do Marketing Médico. 

Isso porque, ao iniciar um planejamento nessa área, é preciso verificar as especificações, para não produzir nada que fuja das regulamentações e possa prejudicar a imagem profissional do médico.

Fora isso, é fundamental desenvolver um projeto sólido dentro do marketing, com definição clara de objetivos, escolha das ações e mensuração de resultados. 

Ou seja, assim como todo tipo de estratégia de marketing, o Marketing Médico requer planejamento.

O marketing digital preço acessível tem crescido muito aos olhos do mercado de saúde. Muito disso, deve-se ao fato do valor econômico de investimento, se comparado com outras formas de divulgação, como a publicidade televisiva ou em impressos. 

Em consequência, o marketing digital tem um ROI (Retorno sobre Investimento) muito maior, além de atingir grande parte da população ativa na internet.

Uma das principais estratégias do marketing digital é gerar conteúdo para blog. Isto é, criar textos, imagens, vídeos e outros materiais publicáveis em um blog, com temáticas relevantes sobre o mercado de saúde, respeitando as especificações da Lei 4.113/42. 

A grande vantagem está na credibilidade para o médico, uma vez que ao ofertar informações relevantes e comprovadas, o usuário se sentirá mais confiante sobre aquele profissional e poderá procurá-lo para consultas médicas.

A criação de conteúdos para blogs está diretamente relacionada com as técnicas do Marketing de Conteúdo, do qual o Marketing Médico pode valer-se, desde que seguindo as obrigatoriedades dispostas à comunidade médica. 

Ademais, a criação de conteúdo não está restrita aos blogs, mas pode abarcar outras mídias, como as redes sociais (Facebook, Instagram, Twitter…), websites, e-mail marketing, etc.

De acordo com a Lei 4.113/42, os anúncios, em geral, poderão compreender textos educativos. 

Caso verifique-se o descumprimento das diretrizes dispostas, a autoridade fiscalizadora encarregada pode intimar o anunciante, dentro do prazo de 30 dias. Neste prazo, é possível pedir a reconsideração.

Caso a reconsideração for negada e o descumprimento comprovado, o anunciante pode ser penalizado com multa ou retirada da propaganda. 

Além disso, a autoridade que impuser definitivamente a multa, pode providenciar a suspensão do anúncio, junto ao Departamento de Imprensa e Propaganda.

Isso não quer dizer que é preciso abandonar as demais estratégias de marketing e focar somente no digital. 

Os médicos podem utilizar da comunicação visual para desenvolver decorações dentro das clínicas e consultórios, por exemplo. Uma boa sugestão é o adesivo eletrostático, que pode ser impresso com o logo do local e colocado na parede, atrás do balcão da recepção.

Além disso, a comunicação visual é uma ferramenta bastante usual também no marketing digital, pois ela define uma identidade, com padronização de cores, tipografias, ícones e imagens, que são usadas pelos designers na hora de produzir conteúdo. 

No mais, ela também é vista durante a impressão de etiquetas adesivas e outros produtos que são usados para reforçar a marca.

Diante disso, percebe-se que com um planejamento adequado, é possível integrar ambas estratégias, tanto o marketing digital quanto o tradicional, para a divulgação de clínicas, consultórios e profissionais da saúde.

Muito além disso, o marketing não atende somente consumidores finais (pacientes, no caso), mas sim órgãos competentes, instituições e demais organizações. 

Assim, caso a clínica/consultório precise de uma licença ambiental simplificada, por exemplo, o requerimento pode ser feito em papel timbrado, levando em conta a comunicação visual previamente estabelecida.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Menu