fbpx

Publicidade ou Marketing: qual a melhor estratégia para advogados?

Marketing Digital
  1. Início
  2. Marketing Digital
  3. Publicidade ou Marketing: qual a melhor estratégia para advogados?

O marketing jurídico ganha cada vez mais espaço em qualquer escritório de advocacia. Atualmente, os profissionais do ramo reconhecem a importância de produzir um bom conteúdo, ainda mais em um mercado cada vez mais competitivo e amplo.

No entanto, há muitas dúvidas sobre como prosseguir com divulgações, já que é necessário respeitar as determinações do Código de Ética da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

Ferir o Código de Ética da OAB pode significar o risco de ser representado e de responder a um processo no Tribunal de Ética e Disciplina. Isso sem contabilizar os gastos com tempo e dinheiro, por ter uma estratégia de divulgação inutilizável.

Contudo, cabe ressaltar que há muitas possibilidades que são permitidas pela referida norma, sendo possível planejar ações objetivas e direcionadas para a atração de clientes.

O que diz o Código de Ética da OAB sobre publicidade?

O Código de Ética da OAB determina algumas restrições quanto à publicidade, mas não ao marketing. Vale ressaltar que esses dois conceitos costumam ser usados como sinônimos, no entanto, esse é um pensamento equivocado.

O marketing atua na própria construção do produto e/ou serviço. Dessa forma, ele determina o objetivo do negócio e oferece subsídios para perceber se a empresa está alinhada com o mercado consumidor.

Nesse sentido, uma empresa que faz manutenção de ar condicionado consegue definir, por meio do marketing, quem são seus potenciais clientes, o perfil do público-alvo, qual os melhores canais de divulgação, etc. O mesmo vale para os escritórios de advocacia.

Já a publicidade vale-se do estudo do marketing para divulgar a mensagem, com o intuito de influenciar o público na compra dos produtos e/ou serviços.

Para se ter uma ideia, ver um anúncio de empilhadeira yale em promoção, ou ofertas de equipamentos, eletroeletrônicos, entre outros, configura ações de publicidade.

Portanto, o marketing é fundamental para toda e qualquer ação publicitária, bem como na construção da identidade da marca.

Para os escritórios de advocacia, é importante compreender os pressupostos sobre publicidade discriminados do Código de Ética da OAB, especialmente, o Capítulo IV.

Segundo o artigo 28, “O advogado pode anunciar os seus serviços profissionais, individual ou coletivamente, com discrição e moderação, para finalidade exclusivamente informativa, vedada a divulgação em conjunto com outra atividade”.

Já o artigo 39 complementa a afirmação, ao dizer que:

“A publicidade profissional do advogado tem caráter meramente informativo e deve primar pela discrição e sobriedade, não podendo configurar captação de clientela ou mercantilização da profissão”.

Sendo assim, ao usar a publicidade, os advogados precisam:

  • Divulgar conteúdos informativos;
  • Elaborar estratégias discretas, não sensacionalistas;
  • Evitar a mercantilização da profissão;
  • Direcionar para a atração dos clientes, não captação.

Percebe-se que os escritórios de advocacia precisam adotar mecanismos para atrair o público, isto é, construir uma autoridade para que o cliente tome a iniciativa de buscar os serviços.

Por essa razão, o marketing, especialmente o de conteúdo, aparece como uma alternativa viável para os advogados.

Afinal, ele é desenvolvido por meio da produção de conteúdo relevante e informativo, em contraponto a uma lógica puramente mercadológica de oferecimento de serviços.

Assim, ao invés de uma publicidade agressiva, como “o menor preço para consultoria em emissão de AVCB”, que é vedada pelo Código de Ética da OAB, o escritório pode produzir um texto que fale sobre o laudo, suas especificações e tirar as principais dúvidas do público.

Estratégias de Marketing Digital para advogados

O marketing jurídico adota o que diz o Código de Ética da OAB e aplica em conjunto com técnicas de marketing, com foco no Marketing Digital, que se tornou muito popular com o advento da internet.

Sendo assim, os escritórios de advocacia podem optar pela contratação de uma agência de marketing digital especializada, que fornece todo o respaldo necessário ao planejamento e divulgação de conteúdo.

Ademais, o marketing jurídico digital também colabora para que o escritório de advocacia tenha um melhor entendimento do público e, desse modo, tenha mais engajamento e autoridade no mercado.

Isso pode ser feito em conjunto com planejamentos estruturados de uma agência de inbound marketing Paraná e outros estados, que foca na criação de conteúdo informativo e relevante, ao invés da publicidade sensacionalista.

Diante disso, separamos algumas estratégias de marketing digital que podem ajudar os escritórios de advocacia na atração de novos clientes:

1. Crie um blog

Partindo da premissa que o Código de Ética da OAB só permite divulgação de conteúdo informativo, nada melhor do que criar um blog para a publicação desses materiais.

Além disso, os blogs são muito eficientes como estratégia de Inbound Marketing, uma vez que envolve a produção de conteúdos, em conjunto com o bom relacionamento com os usuários e fidelização dos clientes.

Desse modo, o blog pode ser usado por um escritório de advocacia para explicar o que é a outorga daee, as principais especificações do termo, as leis envolvidas, entre outros aspectos.

Vale ressaltar que o objetivo é educar o público, por isso, é importante usar uma metodologia didática.

Outro ponto muito vantajoso dos blogs é a autoridade. Escritórios de advocacia que fornecem informações relevantes tendem ser vistos com mais credibilidade perante o público.

Para intensificar isso, é possível fazer uso das técnicas de SEO, com uso e repetições de palavras-chave.

Nesse cenário, também é importante atentar-se à responsividade do blog/website. Afinal, muitos usuários tendem a utilizar a internet via dispositivos móveis.

Por esse motivo, as plataformas devem ter boa navegabilidade em smartphones, tablets e celulares.

Isso influencia diretamente na experiência do usuário, que também é um dos fatores determinantes na atração de clientes.

2. Tenha perfis em redes sociais

A presença das redes sociais já é indiscutível. Hoje, é difícil encontrar qualquer empreendimento que não tenha, pelo menos, uma página no Facebook.

Desse modo, a presença de escritórios de advocacia ou grupos profissionais nas rede sociais não seria diferente.

No entanto, recomenda-se verificar se o público-alvo realmente utiliza as redes e quais são os principais canais.

Assim, não adianta criar anúncio facebook, se os clientes do escritório utilizam mais o LinkedIN.

Com essas informações, é possível orientar a criação de campanhas coerentes, direcionadas e objetivas.

Para cumprir com o Código de Ética da OAB, é importante concentrar as divulgações nas redes sociais também em conteúdo informativo, como repostagem do próprio blog.

Ou seja, ao escrever uma matéria sobre as especificações do laudo de transferência, o compartilhamento para o público pode ser feito por meio das redes sociais.

3. Envie Newsletter e E-mail Marketing

A newsletter e o e-mail marketing são ótimas metodologias para fidelização dos clientes e qualificação de leads. Isto é, uma ferramenta para aproximar usuários que já se mostraram interessados no serviço, pois tiveram contato com o seu conteúdo.

De forma resumida, a newsletter funciona como uma espécie de jornal online, enviado por correio eletrônico. Com ele, é possível aprofundar temáticas e assuntos que não foram tratados previamente nos blogs e redes sociais.

Por exemplo, a newsletter pode conter informações específicas sobre o tratamento de concreto aparente e ser produzido por um escritório de advocacia que tem como cliente principal construtoras.

Ou seja, o conteúdo da newsletter também deve ser direcionado, conforme o perfil do público.

Já o e-mail marketing pode ser qualquer mensagem enviada a um grupo específico, como os clientes, com o intuito de informar algo ou manter um relacionamento duradouro.

Assim, as mensagens podem ser personalizadas com o nome do usuário e atender pedidos, se possível.

Dessa maneira, caso um cliente peça mais detalhes sobre licença de operação cetesb, o escritório de advocacia pode elaborar um e-mail com as informações, especialmente para o usuário.

4. Participe de programas nos demais veículos

O Código de Ética da OAB veda qualquer tipo de promoção pessoal ou profissional do advogado nos meios tradicionais, como rádio, televisão e jornais.

Contudo, o profissional pode utilizar esses canais para dar entrevistas informativas e esclarecer dúvidas sobre um determinado tema.

Assim como os demais meios, a participação em programas noticiosos deve ocorrer com enfoque didático, não para a promoção do escritório.

Sendo assim, um advogado pode ser convidado para falar sobre as leis que regem a instalação de rede de proteção, ou até mesmo temas como a liberdade de expressão.

Nesses casos, é importante que o profissional esteja bem apresentável e tenha uma boa oratória, ainda mais quando está lidando com o público leigo.

Em termos de marketing, a participação dos advogados em programas, principalmente nos veículos de massa, colabora para aumentar a credibilidade e, como consequência, a autoridade do escritório no mercado.

Vale lembrar que o Código de Ética da OAB também veda como publicidade o patrocínio de eventos ou publicações de caráter científico ou cultural, bem como boletins sobre matéria cultural de interesse dos advogados.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Menu